Fatec Bebedouro apresenta projetos de agro na Coopercitrus Expo 2023

Fatec Bebedouro apresenta projetos de agro na Coopercitrus Expo 2023

Visitantes do evento poderão conhecer dois trabalhos de alunos do curso de Big Data no Agronegócio que utilizam cartão NFC para diferentes situações.

Até sexta-feira (28), os visitantes da Coopercitrus Expos 23 poderão conhecer dois projetos desenvolvidos por alunos do curso de Big Data no Agronegócio da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Bebedouro, cidade que recebe a exposição.

Produzidos na disciplina Internet das Coisas (IoT – Internet of Things), a partir da utilização do Arduino, plataforma de prototipagem eletrônica, os sistemas de controle de acesso que podem ser aplicados em diversos ambientes foram criados pelos alunos Guilherme Domingos Neves Neto, Paulo Sergio Calor Junior e Julio Cesar Honório. Eles tiveram orientação do professor Fernando Traina, dentro do Projeto Interdisciplinar de IoT no espaço da Fundação Coopercitrus-Credicitrus.

Os dois trabalhos expostos usam cartão NFC, que utiliza tecnologia com mecanismo de troca de dados, a partir de aproximação entre dispositivos. Esse tipo de conexão é utilizada em fechaduras, máquinas de pagamentos com cartão de crédito e débito, transporte, entre outros.

O controlador de acesso tem diversos objetivos, além da segurança que proporciona ao restringir a entrada de pessoas em um determinado espaço, seja fechado ou ao ar livre.

Para Fernando Traina, professor do curso de Big Data no Agronegócio na Fatec Bebedouro, hoje, os desafios do setor são o aumento da produtividade e da qualidade dos produtos, a economia de insumos, entre outros.

“A quantidade massiva de informações que são geradas no campo, por meio da captura de dados, de sensores, imagens e outras fontes, necessita de processamento em alta velocidade e respostas assertivas no menor tempo possível. E é exatamente isso que a tecnologia em Big Data, processamento inteligente de grandes volumes de dados, oferece”, explica o docente. “O Big Data ajuda o produtor de pequeno ou grande porte a conhecer melhor o que significa cada uma das variáveis que permitem o controle preciso e detalhado das safras, permitindo uma melhora contínua”, comenta o docente.

Controlador de acesso em diversos ambientes

Com a implementação do controlador de acesso no ambiente escolar, por exemplo, o aluno usa o cartão para entrar na escola, o programa lê as informações e registra não só a presença do estudante. “O uso do cartão pode permitir a retirada de material didático na biblioteca”, exemplifica Guilherme. “Alguns dados administrativos podem ser arquivados na unidade escolar ou até mesmo transmitidos para a secretaria de educação. É o caso do controle de frequência, informação que auxilia no controle de evasão”, explica Guilherme.

A quantidade de alunos por dia em uma escola é um dado que pode ser direcionado para a cozinha. Assim serão preparadas refeições de acordo com a demanda, evitando desperdícios e atendendo a todos, na quantidade certa.

Outro exemplo da aplicação dessa tecnologia está no setor de eventos. O cartão pode ser usado como convite para festas, para controle no momento de entrada. No ambiente agrícola, o cartão limita a presença de pessoas em locais que necessitam de mais controle, como estufas. Com essa tecnologia, apenas pessoas autorizadas conseguem entrada no espaço.

Sistema de gestão de rebanho com tag NFC

Na pecuária, uma das principais atividades econômicas do interior de São Paulo, animais de pequeno, médio e grande porte podem ter o desempenho e localização monitorados pelo sistema, a partir de uma tag fixada na orelha do animal.

Sempre que o bovino se aproxima de um sensor, é possível fazer o controle do peso do animal, por exemplo. “O controle de aplicação de cada vacina, o peso e idade no momento da aplicação são fundamentais para uma boa produtividade”, reforça Guilherme, que participa do evento explicando como o sistema funciona aos visitantes.
 

No caso das matrizes destinadas a reprodução, o uso da tag informa os dias de inseminação, a frequência dos cuidados adequados durante a gestação, dia do nascimento, se houve ganho de peso ou se há sinais de desidratação. Tudo isso associado a um sistema, sem necessidade de anotação em folhas que podem ser perdidas, rasgadas e até mesmo preenchidas com letras ilegíveis.

Próximos passos

Ambos os projetos estão em fase de aprimoramento, porém, já receberam apoio de pecuárias da região e da gestão pública para serem implantados. A próxima fase será a aquisição de alguns materiais e aperfeiçoamento de softwares para que estejam preparados para atender à demanda comercial.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Quer saber mais sobre o cursinho?