Alunos da Etec Jaraguá criam projeto para doação 

Alunos da Etec Jaraguá criam projeto para doação de cadeiras de rodas

O ‘Lacrando e Reciclando’ procura mobilizar a sociedade em relação aos lacres das latinhas; o grupo estima que até o final do projeto sejam arrecadados 200 quilos do material.

Alunos do Ensino Médio integrado ao técnico em Segurança do Trabalho, da Escola Técnica Estadual (Etec) Jaraguá, da Capital, criaram um projeto que busca mobilizar a comunidade e dar um significado socioambiental aos lacres das latinhas de alumínio.

Aline Amorim, Gabriel Artiolli, Mirelly Melo, Rayssa Chaves e Samara Barbosa, sob a orientação dos professores Elisete Ribeiro e Flávio Bertine, criaram o Lacrando e Reciclando, projeto que tem como objetivo aproximar e mobilizar a comunidade sobre a importância da reciclagem dos lacres das latinhas de alumínio, incentivando, principalmente, a participação de crianças. Um dos objetivos é desenvolver um olhar mais profundo para os problemas socioambientais, desde cedo.

Na prática, o projeto funciona da seguinte forma: os alunos vão até as Escolas Municipais dos bairros do Jaraguá e Barra Funda, ministram palestras educacionais sobre reciclagem e criam um ponto de coleta que permanece no local por três meses. “Depois nós recolhemos os lacres e agradecemos a participação de todos, sempre relembrando que o principal intuito do projeto é converter essas crianças e adolescentes em futuros agentes transformadores”, conta a aluna Aline Amorim.

Os lacres doados são convertidos em cadeira de rodas para pessoas em situações de vulnerabilidade. De acordo com os alunos, são necessárias 140 garrafas de dois litros cheias do material para cada equipamento ser doado. “Desde a criação do projeto, em maio deste ano até o mês de setembro, já arrecadamos cerca de 130 garrafas”, pontua.

A professora de Planejamento e Desenvolvimento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), Elisete Ribeiro, conta que cerca de dois mil alunos estão envolvidos no projeto. “Houve uma grande aceitação por parte das escolas parceiras, desde a divulgação do projeto nas salas de aula, o envolvimento dos alunos com a arrecadação dos lacres e a disseminação do conhecimento junto à comunidade”.

Para ela, a evolução do projeto mostrou um envolvimento entre os alunos durante cada etapa. “Além da consciência de uma comunidade mais sustentável, percebemos uma maior capacidade de negociação e argumentação entre as parcerias desenvolvidas pelo grupo durante o trabalho”.  A expectativa é que até o final do projeto sejam arrecadados mais 200 quilos de lacres.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Quer saber mais sobre o cursinho?